Archive for the ‘Trabalho’ Category

Dias melhores virão

11/01/2011

Como os dois finais de semana anteriores (Natal e Ano Novo) foram ótimos, com direito a passeios, pracinha, muitas brincadeiras, divertimento, descanso, a expectativa para este último era grande.

Na sexta-feira, como de costume, cheguei em casa enquanto os meninos estavam jantando. Coloquei meu “uniforme de mãe” e fiquei esperando o momento de começar mais um final de semana maravilhoso.

O que eu ainda não sabia é que a aventura estava apenas começando!

Quando peguei meu Arthurzinho, percebi que ele estava febril. Imaginei que pudesse ser dente, mediquei e não dei maior importância ao fato. Montei a piscina dos manos e coloquei no box do banheiro (É. Isso mesmo, no box.) e ele e o Lucas curtiram de montão. O Gabriel não gostou. Mas isso merece um post a parte.

Um pouco antes do horário de deitar o Arthur começou a ficar incomodado e novamente teve febre.  Acedeu o alerta!

Na madrugada o bichinho chegou a fazer febre de 40 graus, com direito a vômito, inclusive. E deu início o processo.

Sexta-feira foi o Arthur, sábado começou o Gabriel e no domingo o Lucas. Não preciso dizer que fomos só agregando manos no decorrer do período. Sair, ninguém.

E agora estamos assim, com todos os meninos febris, rançando, e ficando intolerantes as medicações. Eu e a Fabi, óbvio, dois zumbis. Acho que se dormimos umas 12 horas desde sexta é muito. Horas divididas por 2, é claro. ah! e ainda tendo que trabalhar fora o dia todo!

Mas é assim mesmo, ainda mais com três. E como acredito que “não há mal que sempre dure e nem bem que nunca acabe”, imagino que a fase mais crítica já tenha passado. Agora é só esperar os dias melhores que virão. E virão!

UFA

26/07/2010

A vida aos poucos está voltando ao normal.

Desde maio que venho tentando colocar ordem nas minhas vidas: pessoal, profissional, familiar.

Os Moleques completaram  01 aninho no dia 12 de maio. Estava tudo certo para a festinha deles,  que seria realizada no dia 15. Salão reservado, amigos confirmados, atrações agendadas. Porém, no dia 13 de maio o Gabriel foi internado com bronquiolite.  Correria geral para desmarcar tudo, avisar todos. O foco era outro:  a saúde dos meninos em primeiro lugar.

Passamos 09 dias no Hospital, sendo que destes, 07 no CTI. O Gabriel chegou a ir para o quarto mas acabou voltando para o CTI com o quadro, a meu ver, agravado. O susto foi imenso. O medo, indescritível. A esperança infinita.

Durante a internação do Gabriel, o Lucas e o Arthur também ficaram ruinzinhos. Porém decidimos mantê-los em casa uma vez que o quadro não era tão grave. Começamos com sessões de fisioterapia duas vezes ao dia para os manos que estavam em casa, além de todos os remédios.

Para todos os manos, doses extras de amor, carinho e chamego. Muito chamego.

Foram dias e noites de muita febre, choros, dengues, afagos. Mas, como tudo nesta vida, um belo dia, passou. A paz voltou a reinar no meu coração, pois meus Moleques voltaram a brincar, a sorrir e estavam TODOS juntos novamente.

Neste período, para completar, a Tia Solange (a pessoa que cuidava da casa e auxiliava com os meninos) também ficou doente. E aí se foram mais de 15 dias até que ela disse não ter mais condições de continuar trabalhando.

Eu, que havia tirado 10 dias de férias para poder terminar de organizar a festa dos meninos e curtir a abertura dos presentes com eles, acabei espichando as férias para mais de 30 dias. Sem festa. Sem presentes.

E voltei a trabalhar com o coração na mão. Felizmente o local onde trabalho tem pessoas compreensivas, amigas e dispostas a ajudar.  MUITO OBRIGADA a todos da Banricoop. Chefes, colegas, colaboradores. Todos. O auxílio e a compreensão de vocês foram fundamentais para a retomada do equilíbrio em minhas vidas.

A situação ainda não está redonda, porém está bem mais confortável agora.

Eis um “resumão” do que aconteceu nos últimos dias e que tenta justificar um pouco da minha ausência. Vou tentar colocar o Blog em dia, pois os meninos estão numa fase ótima, em que todos os dias há novidades.

Em breve, voltarei com as últimas dos Moleques e fotos atualizadas.

Velhos conceitos: quantidade X qualidade

28/11/2009

Como comentei em outro post, voltei a trabalhar e por este motivo estou demorando um pouco mais para atualizar o blog. 

A hora que chego em casa, coloco meu “uniforme de mãe” e aí a festa começa. Dedico meu tempo a cuidar, brincar, paparicar meus moleques, numa ânsia em recuperar o tempo em que estive longe deles.

Outro dia me peguei revendo velhos conceitos.

Antes de ser mãe, sempre defendi a idéia de que muito mais importante do que a quantidade de horas que os pais dedicam a seus filhos é a qualidade deste tempo.

Continuo achando fundamental a qualidade do tempo que dedicamos aos nossos filhos, porém hoje, mãe de trigêmeos, valorizo cada vez mais a quantidade de minutos disponíveis para meus meninos. Não abro mão de eu mesma dar o banhinho deles, cortar as unhas. As mamadeiras matinais, faço questão de deixar dadas antes de sair para o trabalho e se conseguir ainda deixar as fraldas trocadas, muito melhor. Claro que se os meninos estiverem dormindo, não irei acordá-los para satisfazer minhas vontades.

Outro dia me perguntaram: “você não cansa?” É claro que canso. Eu estaria subestimando a inteligência das pessoas se disesse que não. Mas, “Oh cansaço gostoso este!” E mais, quando se ama o que se faz, nada mais é trabalho.

E eu amo demais minha nova vida. Amo demais meus filhos. Muito obrigada por serem meus filhos.

De volta!

22/11/2009

Estou de volta ao trabalho! 

Depois de 06 meses em casa com meus mosleques, dia 16.11 voltei ao trabalho. Foram 06 meses que passaram voando. É impressionante como o tempo voa quando fazemos algo que nos dá prazer! Mas, felizmente consegui atingir meu objetivo de estar presente nos 06 primeiros meses de vida dos pequenos.

Durante este período pude curtir meus filhos e saber identificar os diferentes sinais que me mandam. Pude ainda organizar melhor as pessoas que estão cuidando deles. Pude exercer a maternidade em todos os sentidos. Só não consegiu me preparar para a separação.

Embora soubesse, racionalmente, da importância de voltar ao trabalho, retomar minhas atividades profissionais, meu coração não conseguia entender o motivo pelo qual precisava me separar dos meus pequenos. Era coração para um lado, mente para outro.

Mas, como sempre digo, a vida pra mim é boa, mais que o normal. Retornei ao trabalho com um horário super facilitado. Estou trabalhando até as 14 horas, tendo o resto do dia para curtir meus pitocos.

Aproveito aqui para agradecer a todas as pessoas do meu trabalho pela cobertura dada na minha ausência e pela compreensão no meu retorno. Contem comigo!