Archive for the ‘Personalidade’ Category

Personalidades – Parte 3

15/10/2010

Gabi, chegou sua vez!

Assim como seus manos, você é um lindão!

Te amo com todas as minhas forças.

O Gabi é meu filho mais independente. Tanto é verdade que para nascer foi ele quem decidiu o momento. Chego a imaginar o Gabriel na minha barriga chamando os manos dele e dizendo: “A hola é agola”. Quem quiser que me acompanhe, porque eu, F U I!

Desde que nasceu o Gabriel me passa tranquilidade, calma, sabedoria. Lembro dele, um “tudinho” de menos de 900 gr, na incubadora me olhando fundo e me tranquilizando: vai dar tudo certo, mamãe!

Costumo dizer que o Gabriel está no mundo a passeio. Raramente ele se estressa com alguma coisa. Chorar, definitivamente, não é com ele. Os manos podem tirar os brinquedos da sua mão, ele pode cair, levar alguns puxões de cabelo, que segue, tranquilo, aproveitando a oportunidade que estiver passando ao lado.

E o olhar? é o olhar mais expressivo que já vi na vida! E o sorrisso? maroto como só ele. E a risada? deliciosa!

O Gabi é o sapeca mais carinhoso do mundo. Ele alterna momentos de brincadeiras com os manos com outros de pura introspecção, seja “lendo um bom livro” ou brincando sozinho.

E é guloso. Tudo o que vê pela frente ele come. Não há nada que o Gabriel não goste (pasmem! até danoninho, depois das primeiras colheradas, vai). Temos que estar de olho, pois o crespinho coloca tudo na boca.

Há quem chame meu crespo de Forrest Gabriel Gump, pois o moleque adora caminhar. A maior dificuldade atualmente é fazê-lo parar para trocar as fraldas. Que perda de tempo, deve pensar.

Te amo muito meu crespo lindo!

Personalidades – Parte 2

22/09/2010

Hoje é a vez do Lucas.

Filhão, você é lindo!

O Lucas foi o primeiro a nascer. Foi também o maior de todos.

Durante o tempo que ficamos na Neo, foi o mais tranquilo. O lance dele era dormir. Mamando e dormindo estava tudo bem. Não reclamava para quase nada. Teste do pézinho, sonda, pic, parece que ele tinha compreensão que eram situações necessárias e, principalmente, passageiras.

Foi o primeiro a ir para o berço e mamar no peito. Nossa! esse dia foi incrível. Até hoje lembro (e acho que vou lembrar para sempre) da sensação maravilhosa que foi alimentar meu bebê pela primeira vez. Saí do hospita rindo à toa. Me sentia flutuando tamanha felicidade.

Te amo meu primogênito!

O Lucas é meu filho mais carinhoso. Ele curte fazer carinho. Adora um colo e um chamego. Principalmente se este colo for da Fabi, aí sim, ele se derrete todo. A ligação deles é incrível!

Seu sorriso é encantador, sua risada enche a sala. E meu coração. Seu olhar, além de maroto, é pura expressão.

É, assim como eu, super sensível. Nem pense em falar mais alto com ele, pois é choro na certa.

É o Lucas que está sempre procurando um “mimo” para nos dar. Acredito que este gesto demonstre o carinho que ele tem pelas pessoas. É ele também que me ajuda a manter as mamadeiras de suco no lugar. Peço a ele para colocar a sua no local e ele, não só coloca a dele como também resgata a dos manos para guardar. Um detalhe: não importa se os manos ainda estão tomando suco ou não.

É um bebezão. Costumo dizer que o lance dele era ser filho único. Adora ter as atenções voltadas a ele e, se preciso, grita por isso. Por vezes se demonstra ciúmento, principalmente com a Fabi e com a Dinda Mari.

Sabe que é o gostosão e costuma se valorizar.

Atualmente está numa fase de exploração e o objeto preferido dele é a televisão da sala. Adora testar suas habilidades e minha paciência ligando e desligando a tv. Não tem sido fácil “domar” meu bebezão. Mas acho que estou no caminho. Minha última tentativa (e que deu certo) foi retirá-lo da sala na primeira vez que desligou a TV e explicar o que estava acontecendo e porque estava fazendo aquilo. Depois disso não desligou mais.

Te amo meu filhotão!

Personalidades – Parte 1

13/09/2010

Ainda não havia falado aqui sobre a personalidade dos manos.

Além de serem fisicamente diferentes (cada um tem um tipo / cor de cabelo, por exemplo), eles possuem personalidades e comportamentos muito diferentes entre si.

Hoje vou falar um pouquinho sobre o Arthur.

Ah, o Arthur! tão bonitinho…

… e tão …

… tão …

… tão cheio de personalidade!

O Arthur é o meu filho mais engraçado. E isto é dele. Ele é engraçado e ponto.

Quando está de bom humor é delicioso brincar com ele e curtir suas tiradas. É muito esperto. E quando digo muito esperto não estou exagerando.

Ele é quem mais responde as provocações. É quem imita com maior facilidade e reproduz tudo o que ensinamos. É o “macaquinho” da turma.

Possui uma risada encantadora, um olhar sedutor. É apaixonante e envolvente.

É o menorzinho dos três. É o meu bebêzinho. É nele que mato as saudades de ter bebê em casa.

Te amo meu filho caçula!

Mas (por que toda história tem que ter um “mas”?) também é ele que tem o gênio mais forte.

Ele reclama desde que nasceu quando as coisas não estão do jeito dele. E confesso que tenho culpa, pois ainda na incubadora incentivei este comportamento, dizendo que temos que reclamar quando as coisas não vão bem. E ele aprendeu a lição.

O Arthur sabe exatamente o que quer e o que não quer e dificilmente se deixa corromper por alguma promessa externa.

E é brabo, muito brabo. E tem me causado problemas, pois está reagindo de forma agressiva quando fica descontente com algo.

Está com mania de atirar as coisas: mamadeira, bico, brinquedos, o que tiver pela frente. E isso é péssimo. O que tem de bom é que peço para ele alcançar na minha mão e ele vai lá, recolhe tudo o que jogou e me devolve. Mas já jogou. E vai jogar de novo.

Outra coisa que tem me deixado bem preocupada é que está com mania de dar tapas. E eu, claro, sou seu alvo preferido.  Tenho tentado de todas as formas ensinar que é feio dar tapas, que tem que fazer carinho e não bater, mas não tem sido nada fácil. Aliás, se alguém tiver alguma dica, será muito bem vinda.

Assim como os manos dele, também tem arriscado umas mordidas. Menos mal que por enquanto o alvo  principal (não único) dos três sou eu. Também estou tentando de tudo para mudar este comportamento. Dicas?

Este é o Arthur. Acho que se tivesse que escolher uma palavra para o definir, esta palavra seria INTENSO!

Há quem diga que é o mais parecido comigo. Em tudo.

Te amo muito meu preto.